Entenda por que avaliar apenas as calorias dos alimentos não significa ter uma alimentação balanceada. Lembre-se sempre: somente calorias não importam!

Mais importante do que quantas calorias você consumiu ao longo do dia, é saber de onde essas calorias estão vindo e quais os efeitos dela no seu corpo.

Uma comparação simplificada do tema “Calorias não Importam” é que 300 calorias de bolo de chocolate não tem o mesmo efeito em nosso corpo do que 300 calorias de cenoura crua. Antes de tudo, é preciso entender que além das calorias indicadas nos rótulos dos alimentos, deve-se considerar as calorias disponíveis ou não que esse alimento deixa em seu corpo após o processo digestivo.

Vamos iniciar entendendo a diferença de quantas calorias disponíveis um mesmo tipo de alimento pode ter.

Quando os alimentos passam por algum tipo de processo (cozinhar, assar, picar, moer, processar etc.) tem um aumento na sua energia disponível, ou seja, é mais fácil para o corpo digeri-lo, e como consequência, “sobram” mais calorias ao final do processo digestivo. Seguindo o mesmo raciocínio, quanto menos processado um alimento, mais energia seu corpo gastará para digeri-lo e, da mesma forma, menos calorias “sobrarão”. Dessa forma, uma cenoura crua possui menos calorias disponíveis do que uma cenoura cozida.

Além do nível de processamento dos alimentos, é importante observar, antes das calorias, os nutrientes presentes nele. Seguindo o exemplo do início do texto; um bolo de chocolate feito com farinha branca, manteiga e açúcar refinado é um alimento pobre em nutrientes e contém alta carga glicêmica. Já uma porção com a mesma quantidade de calorias de um legume ou verdura é capaz de fornecer vitaminas, fibras e aminoácidos, além possuir baixa carga glicêmica (se quiser saber mais sobre a carga glicêmica dos alimentos e a sua importância, clique aqui!).

Portanto, mais do que olhar somente calorias na tabela nutricional, vale a pena entender o tipo de alimento que está sendo consumido, quais são seus nutrientes e como ele foi preparado. A longo prazo, olhar o todo de um alimento e não se restringir a linha do valor energético, nos permite tomar decisões mais benéficas ao nosso organismo, evitando deficiência de vitaminas e/ou problemas de saúde.

De fato, para uma pessoa que está focada em perda de peso, a caloria importa, deve ser observada e controlada, mas novamente o equilíbrio nutricional (quantidades balanceadas de fibras, proteínas, carboidratos, gorduras boas, etc.) deve ser o critério número um. Ao escolher um alimento nutritivo, balanceado e que possa ter até calorias, como algum snack feito de sementes ou castanhas, ao invés de algum outro que tenha menos calorias e não seja nutritivo, como um biscoito feito com farinha branca e gordura hidrogenada, ele te manterá saciado por mais tempo, sendo assim passa a ser uma escolha mais “inteligente”  dentro da sua dieta.

Resumindo: preocupe-se mais com a qualidade e equilibrio nutricional dos alimentos que você ingere, do que com a quantidade de calorias de cada um deles.

E você, já parou de pensar somente nas calorias?

 

compre aqui